19 de jan de 2011

Exclusiva - Joe Prado e Blackest Night

Nosso amigo artista Joe Prado nos deu um pouco de seu tempo para falar sobre a megassérie A NOITE MAIS DENSA e sobre os designs dos personagens criados por ele. Confiram!

Torre Titã: Pelo que podemos perceber, Joe, você foi o responsável pelos designs dos zumbis na saga BLACKEST NIGHT. Naturalmente, você é grande conhecedor da história do UDC em si, mas precisou fazer algumas pesquisas para desenvolvê-los?

Joe Prado: O trabalho de design dos Lanternas Negros foi algo muito legal para mim. Tudo começou na verdade quando fiz os redesigns de alguns Lanternas Verdes antigos para o Green Lantern-Sinestro Corps Secret Files. O Eddie (Berganza) e o Geoff (Johns) adoraram o que eu inventei para aqueles personagens. Daí, começaram a me dizer que dali a um ano e pouco eles iriam precisar da minha ajuda, etc.

Quando estava desenhando o Guerreiro para a DC eles me chamaram, perguntando se eu conseguiria fazer para o dia seguinte o design de três personagens: Gavião-Negro, Mulher-Gavião e Mulher-Maravilha como Lanternas Negros! Passaram-me os cinco ou seis designs iniciais do Ethan (VanSciver), e eu nem pestanejei! Vinte minutos depois já tínhamos dois designs prontos! Os Gaviões! Eles adoraram!

E assim começou! Eles me passavam listas contendo de dez a vinte personagens por vez. Tinha dias que criava de cinco a dez personagens. É claro que conhecer bem o Universo DC me ajudou MUITO! Várias vezes só perguntava a eles qual versão de uniforme de determinado personagem deveria ser usado como base para o visual Lanterna Negro, e boa.

Fazia de cabeça. É CLARO que alguns dos personagens eu não me lembrava, e eles mandavam referências. E, algumas vezes, recorria à Internet como fonte de pesquisa, principalmente com os personagens de Western da DC.

Além de criar o visual para os Lanternas Negros, fui o responsável para criar o visual dos Lanternas Brancos (incluindo Sinestro) e dos personagens ressuscitados ao final da saga, o que pra mim foi MUITO mais difícil que criar os Lanternas Negros. Era uma responsabilidade enorme seguir os passos de tantos artistas fantásticos que haviam criado alguns dos meus personagens favoritos. Com certeza, foram os designs que tiveram mais correções. Por exemplo, o Caçador de Marte sofreu quatorze ou quinze correções e versões até acertarmos o design final para ele. Mas, foi um trabalho sensacional, que me senti MUITO honrado em fazer.

Inclusive, para os fãs mais hardcore, MUITOS dos designs ORIGINAIS estão à venda no site do meu Art Dealer, Spencer Beck.

TT: Como você se envolveu especificamente na produção da saga, além de trabalhar como artista e desenvolver os designs?

JP: Ao mesmo tempo em que fazia o Guerreiro, eu produzia os designs para A Noite Mais Densa. Em determinado ponto, saí da revista e me dediquei somente aos designs. Quando o Ivan (Reis) e o Oclair (Albert) estavam quase acabando a segunda edição, os prazos começaram a apertar. Assim, eles decidiram que seria necessário um segundo finalista para ajudar o Oclair.

O Ivan sugeriu meu nome, porque alem de estar entrosado na produção da revista e da saga, nós tínhamos feito algumas páginas e capas juntos pra DC. Então, eles acabaram me passando duas páginas como teste. Fiz as páginas, algumas correções, e eles toparam. Comecei a ajudar na arte-final da série na terceira edição, indo até o final, na oitava.

TT: Como todos sabem, a história dos Titãs é bem marcada pela morte de diversos deles. Em BLACKEST NIGHT: TITANS sentimos a falta de personagens como a Quartzo e o Fantasma, por exemplo (personagens vistos em suas versões zumbis em BN: DIRECTORS CUT). Sem falar na Duela Dent e Gnarrk. Você saberia e poderia nos dizer por que eles não foram utilizados?

JP: Sei que muitos fãs sentiram falta de alguns personagens, sim. Principalmente os fãs dos Titãs. Para alguns dos personagens que não apareceram na série principal e nas séries ligadas a ela, foram criados esses designs. A Quartzo (Kole) e o Fantasma (Phantasm) são alguns deles. Alguns outros nem foram pedidos. Os que foram pedidos e não utilizados não foram usados por razões editorias. Decisões internas, que ocorrem todos os dias. Nada demais, no final das contas.

TT: Como fã, como você avalia a série em si? Acha que a morte do Detonador foi algo realmente necessário?

JP: Pessoalmente, acho que a série foi a melhor que a DC deu aos fãs em muito tempo! Não somente aumentou as vendas, mas também nós, fãs, tivemos novamente aquela sensação de que algo realmente importante e grande estava sendo feito para o Universo DC se acertar. E não só isso, mas também estabelecer o tom das publicações da editora. Foi um trabalho sensacional de coordenação, produção, trocas de idéias e criatividade. Tudo se deve às mentes brilhantes envolvidas, Geoff Johns, Ivan reis, Oclair Albert, Alex Sinclair, Eddie Berganza, Adam Schlagman e Dan Didio.

Agora, em minha opinião, a morte do Detonador foi algo necessário sim – porque de alguma forma, ajudou para o drama pessoal do personagem.

TT: Poderia compartilhar algo dos roteiros que não foram utilizados?

JP: Vocês devem ler o Blackest Night: Untold Tales que saiu no Halloween do ano passado! Que eu saiba, as únicas passagens de roteiro que não foram utilizadas estão lá.

TT: Artistas como Ivan Reis, Eddy Barrows, Joe Bennett e Ed Benes parecem terem se consagrado no evento. Por acaso há uma nova "safra" de artistas brasileiros vindo por aí?

JP: A saga toda foi uma grande oportunidade para TODOS que estiveram envolvidos. Foi uma vitrine para o talento de todo mundo. Sejam eles desenhistas, escritores, arte-finalistas, coloristas, etc.

Graças a Deus, nós, Brasileiros, temos conseguido cada vez mais espaço no Mercado de Super-Heróis, e isso me deixa muito orgulhoso, PRINCIPALMENTE porque temos a chance de trabalhar muitas vezes com profissionais estrangeiros dos quais somos fãs! E só isso é uma honra para qualquer artista que se preze.

Sobre os artistas Brasileiros que acredito serem grandes promessas num futuro próximo, tenho minhas apostas: Diógenes Neves (artista em Green Arrow), Paulo Siqueira (artista em Spider-Man), Eduardo Pansica (Wonder Woman), Ig Guará (Lockjaw&PetAvengers), Jackson Herbert (Queen Sonja), Geraldo Borges (Adventure Comics), Mateus Santolouco (American Vampire), Daniel HDR ( Legion of Super-Heroes), Ronan Cliquet (Marvel Super-Heroes), entre outros.

TT: Obrigado pela entrevista, Joe. E muito sucesso!

JP: Obrigado pela oportunidade, Tar!


Designs:



Confiram outros designs aqui!

2 comentários:

Mad Zérro Blog disse...

Bem legal a entrevista!
^^
Os designers do titãs foram colocados no skecht book do joe. Que por sinal tá muito foda!!!
^^

Gustavo Antimonitor disse...

SHOW! Joe Padro RULEIA! Cara, queria muito ver o Fantasma e a Quartzo!