11 de jun de 2012

Titãs dos anos 80



Uma homenagem à fase Marv Wolfman/George Pérez
Por Rodrigo Garrit
Originalmente publicado no Santuário
Imagine alguém que consegue desenhar sentimentos. Que exprima numa ilustração, toda uma gama de sensações capazes de convencer o leitor, conceder uma credibilidade tamanha capaz de emocionar…
Você acabou de imaginar George Pérez, o consagrado artista que há anos nos brinda com seu talento. Em meados de 1983, a velha franquia da Turma Titã precisava ser renovada. Então, para esse reboot, o roteirista Marv Wolfman se uniu a Pérez para criar um marco lendário na História das histórias em quadrinhos.
Esse texto não quer ter compromisso com cronologia, minúcias ou pequenos erros de continuidade.
Esse texto é minha declaração de amor ao Titãs.
Dick Grayson. Bette Kane. Kory Anders. Karen Beecher. Gar Logan. Charlie Parker. Ravena. Don Hall. Wally West. Donna Troy. Dawn Granger. Victor Stone. Roy Harper. Jason Todd. Azrael. Gnarrk. Tara Markov. Garth. Danny Chase. Joe Wilson. Lilith Clay. Kole Weathers. Tula. Hank Hall. Mal Duncan.
Na versão de “Os Novos Titãs” de Wolfman/Pérez, eles eram uma equipe problemática, mas muitíssimo unida. Ainda tínhamos Robin, Moça Maravilha e Kid Flash, remanescentes da Turma Titã original, quando a dupla de criadores os uniu a alguns novos personagens trazidos especialmente para a renovação da série: Estelar – A princesa Koriander do planeta Tamaran, fugitiva de uma raça de conquistadores; Mutano – Garfield Logan, (ex-membro da Patrulha do Destino), o jovem que sobreviveu a uma doença raríssima na África e ganhou pigmentação verde e o dom de se transformar em qualquer animal vivo; Ciborgue – Victor Stone, cuja genialidade científica de seu pai possibilitou que ele recebesse próteses cibernéticas superavançadas após sofrer um terrível acidente que mutilou seus membros; e a misteriosa Ravena – filha de um demônio extra dimensional, dotada de poderes empáticos e capaz de manipular seu poderoso ego espiritual. Foi ela quem reuniu essa nova equipe de Titãs quando Trigon, seu pai, ameaçou o planeta pela primeira vez. O demônio foi enfim detido com a intervenção de Lilith, uma antiga integrante dos Titãs da Costa Oeste e Arella, mãe de Ravena. Ao fim dessa saga, Wally West, o Kid Flash, deixaria a equipe seguiria seu caminho como o novo Flash.
Mais tarde, velhos membros e novos heróis integrariam a equipe, como Ricardito –parceiro do Arqueiro Verde, mestre da pontaria e exímio combatente; Aqualad – filho da Atlântida, o parceiro de Aquaman também podia se comunicar com a fauna marinha e tinha força, velocidade e reflexos ampliados; Quartzo – que tinha o dom de materializar cristais; Danny Chase – dono de um poderoso campo telecinético; Jericó, o rapaz mudo capaz de possuir o corpo das outras pessoas apenas com um contato visual, filho de um dos piores inimigos dos Titãs, o Exterminador; e Terra, a famigerada Tara Markov, irmã do herói Geoforça e possuidora do destruidor poder de controlar grandes quantidades de terra a seu bel prazer. Ela seria a primeira traidora. Ravena chegou a se voltar contra os Titãs, é verdade, mas estava sob controle de seu pai. Tara Markov não estava sendo controlada quando se uniu ao Exterminador, e quase aniquilou seus colegas de equipe um por um, no clássico “Contrato de Judas”, que até hoje é reverenciado pelos fãs dos jovens heróis como um das melhores sagas dos Titãs de todos os tempos. Essa história mostrou entre outras coisas, a entrada de Jericó na equipe, a transformação de Robin em Asa Noturna e a morte apoteótica da traidora Terra, literalmente soterrada por toneladas de descontrole e loucura.
A vida dos Titãs, apesar de parecer glamorosa dentro daquela enorme torre espelhada em forma de “T”, não seria nada fácil. Eles ainda viajariam de um ponto a outro do universo, lutariam contra seitas secretas, organizações de supercriminosos e veriam seus amigos mais próximos morrerem. E às vezes, voltarem da morte.
Eles também se perguntariam quem é a Moça Maravilha, e a resposta a isso ecoaria nos confins da realidade, onde ficariam a mercê dos caprichos dos deuses. Eles ainda tinham um caminho tortuoso, sofreriam desilusões e paixões, viveriam no limite das emoções, casariam, teriam filhos, perderiam filhos… e seriam apagados da realidade. Mas não do coração daqueles que inspiraram…
“Uma vez TITÃ, sempre TITÔ.
Toda a fase Wolfman/Pérez se tornou uma referência ainda muito atual, não só pelaqualidade do material publicado na época (sucesso absoluto de vendas, tendo como concorrentes diretos os então ainda em ascensão X-Men), como pela dose de verdade e realismo encontrada em cada página. (Guardadas as devidas proporções – afinal estamos falando de um gibi de super-heróis!) Os Titãs desse período nunca foram meros personagens para ler e esquecer. Era quase como se fossem pessoas reais que a gente conhece… amigos que  a gente encontrava todo mês nas páginas daqueles gibis. Eles foram a base firme que sustentaram a popularidade da equipe, mesmo quando a qualidade da revista começou a cair com a saída de Pérez e depois de Wolfman. A equipe então teve altos e baixos…. alguns bons momentos, mas nada que se comparasse a glória do passado. A boa notícia é que com a proximidade do aniversário de 30 anos da revista New Teen Titans (onde começou a reformulação Wolfman/Pérez), será lançada uma edição especial que demorou 20 anos para sair do papel: “Novos Titãs: Games”, uma Graphic Novel inédita com uma história fechada, passada nos anos 80, e produzida justamente por Marv Wolfman e George Pérez. O lançamento oficial está previsto para 21 de setembro de 2011 (Nos EUA).
O texto e a arte daqueles tempos tinham algo que é raro nas histórias recentes; eram escritos por fãs dos personagens, que realmente queriam fazer um trabalho bem feito. Não era apenas um roteiro desenhado quadro a quadro. Não eram histórias pensadas para virarem filmes de bilheteria esmagadora, sejam eles de boa qualidade ou não.

Eram uma declaração de amor a esses personagens.
Asa Noturna. Labareda. Estelar. Abelha. Mutano. Águia Dourada. Ravena. Columba I.
Flash. Tróia. Columba II. Ciborgue. Arsenal. Robin II. Azrael. Gnarrk. Terra. 
Tempest. Danny Chase. Jericó. Sina. Quartzo. Aquagirl. Rapina. Arauto.
Titans Forever!

4 comentários:

Pedro Groke disse...

Muito bom seu texto!! É com textos como esses que eu sinto cada vez mais vontade de ler a época Wolfman/Párez!!!

Nuno Amado disse...

Bom texto, e tenho a certeza que os Titãs te amam também!
:)

Abraço

Rodrigo Garrit disse...

=)

João Roberto da Costa disse...

Nunca fui fã da DC, mas li os Titãs nessa época e me divertia muito.

Bons tempos.