7 de mai de 2010

SPOILERS - JLA: The Rise of Arsenal #02 - Review

Staring at the Abyss

Roteiro: J.T. Krul
Arte: Geraldo Borges & Mike Mayhew, Andy Troy & Kevin Sharpe
Arte-Final: Marlo Alquiza & Mark McKenna
Cores: HI-FI

Após ter despertado de um sonho onde é incapaz de salvar a vida de Lian, Roy Harper toma conhecimento, através da Canário Negro, que seu mentor, Oliver Queen, fora preso pelo assassinato do vilão Prometheus. Ainda atormentado pelos fatos, o Titã decide "visitar" o Arqueiro Verde, que o recebe, tentando se justificar pelos atos cometidos. Entretanto, Ollie se surpreende ao perceber que Roy tornou-se vingativo ao declarar que seu mentor tomou para si a chance de exterminar o responsável pela tragédia na vida do herói. Culpando o Arqueiro, Roy o deixa, afirmando que ele nunca esteve disponível para ele, e que jamais saberia o verdadeiro sentido de ser pai.

Em seguida, nos Laboratórios S.T.A.R., Cyborg apresenta a Roy uma prótese para substituir seu braço direito. A prótese tem terminações eletronervosas que permitem todas as ações de um membro natural. Entretanto, Dr. Meia-Noite afirma que quando Prometheus extirpou seu braço, junto implantou nanites responsáveis por manter o coto infectado. Com isso, a utilização da prótese causaria extrema dor. Em meio aos testes, Roy tem outra visão de seu antigo amigo, Coley, que o induz a reduzir a dor se drogando. Entretanto, Roy continua ignorando os conselhos fantasmas, embora esteja utilizando de medicamentos excessivos para o controle da dor.

Mais tarde, no funeral de Lian Harper, em meio a vários heróis, Roy se ira ao perceber que realmente sua filha fora morta. Em disparada, ele se encontra com a Devastadora, que por um tempo fora babá da garota. Ela diz a Roy que sabe o quanto Lian o amava e vice-versa, além de já ter sentido ciúmes por não ter tido o mesmo em relação a seu pai - Slade Wilson. Ela ainda completa dizendo que ele não precisa se preocupar por tê-lo testemunhado tomando os medicamentos, uma vez que ela vem passando pelo mesmo problema.

Neste ínterim, Mia Dearden, a Ricardita, pede desculpas a Roy por não ter salvado Lian. Neste momento, o herói se irrita mais e a culpa pela morte da filha. Em seguida, Donna o censura por ter tratado Mia daquela forma, mas ele também acaba por insultar a amiga e ex-namorada, dizendo que ela foi uma péssima mãe, pois ao invés de ter tentado evitar o acidente que causou a morte de seu ex-marido - Terry Long - e seu filho, estava perambulando pelo cosmo acompanhada de Kyle Rainer.

Já em sua casa, Roy surta novamente e decide utilizar sua prótese, quebrando seu antigo arco. Neste momento, o herói demonstra outra vez sua habilidade de transformar qualquer objeto em arma. Após tomar os medicamentos sucessivamente, ele é atacado pela mãe de sua filha - Lince.

Continua...

Opinião

Esta edição refletiu as consequências da tragédia de Star City na vida dos heróis ligados a Roy Harper e a ele mesmo. Krul consegue transmitir a dor pela qual o herói vem passando - o que justificaria o comportamento agressivo. Não há muito a redigir sobre este capítulo, exceto pelo fato do autor nos presentear com a aparição de Rose Wilson, que não foi proposital (para aqueles que não sabem, Rose foi babá de Lian por um tempo). Krul demonstra conhecer perfeitamente a história dos Novos Titãs e faz disso um grande trunfo para conquistar os fãs. Repito que ele seria o autor ideal para o grupo.

Geraldo Borges continua dinâmico e expressivo, entretanto, em alguns painéis, os personagens parecem não serem os mesmos, devido ao outro artista. Borges é apto a transmitir toda a dor que o protagonista vem passando, caprichando nas expressões faciais e corporais. Vale destacar que os painéis referentes ao sonho de Roy são incrivelmente realísticos e perfeitos.

Como disse acima, não há muito a comentar, por enquanto, afinal este é o segundo capítulo de quatro. Acredito que teremos algumas surpresas em relação ao passado do herói nas seguintes edições.

Frase da Edição: "Você foi um grande pai, Roy. E sabe disso!" - Rose Wilson.

Nota: Roteiro: 10
Arte: 08

2 comentários:

Ricardo César disse...

Cara, essa história está sendo muito legal, mas sinto muita pena pelo que vem acontecendo com o Roy.

Rodrigo Broilo disse...

Concordo sobre Krull