25 de nov de 2007

Garth, um Titã ímpar!

Quando penso no Garth, sinto um pouco de tristeza, daquilo que poderia ter sido aproveitado de forma melhor, daquilo que poderia ser em plenitude, mas não foi. Fiquem calmos, eu explico a situação: Garth é um personagem fabuloso, digno de receber o nome “Titã”; porém, devido as suas limitações – o tempo que ele podia permanecer fora da água – fazia com que ele parecesse inferior aos outros, pois isso o impediu inúmeras vezes de participar das aventuras com o grupo. Como exemplo, cito quando a turma foi ao espaço resgatar a Kory das garras da Komander. Foi ele quem encontrou a nave espacial no fundo do oceano, chegou a ser convidado, pelo Dick, a tomar parte no evento, infelizmente, o espaço é um lugar inóspito para um ser das águas.
Falar do Garth é, principalmente, recordar amizade; menino leal, que possui um forte laço com aqueles que ama, ressalto a relação com a Donna e com a Lilith. Saliento que toda essa afinidade não extrapolou o campo da amizade, nunca ele tentou algo a mais com nenhuma delas. Também, como ter olhos para outras, se desde a sua adolescência, a Aquagirl o fisgou... (o trocadilho foi inevitável!!!). Este era outro relacionamento gostoso de acompanhar, eles se entendiam muito bem. Tanto que, observar o desespero dele, quando Tula foi envenenada pela C.O.L.M.E.I.A. emocionou, assim como ter presenciado todo o sofrimento dele quando em “Crise nas Infinitas Terras” ela morre, ainda me deixa triste.

Mas, como a própria trajetória dele mostra, esse menino-órfão, possuidor de olhos púrpuras, da Atlântida é um sobrevivente, mais, é um verdadeiro guerreiro. E como tal soube sempre encontrar forças para superar as dificuldades que lhe foram apresentadas.

Nesse quesito, se compreende melhor a dimensão dele: houve separações dolorosas e reencontros difíceis; lembranças que nunca serão apagadas, afinal, desconhecer a própria origem, perder pessoas amadas, não saber o paradeiro da esposa e do próprio filho, precisar refazer um relacionamento

com a mãe, ter os poderes subtraídos de forma desconhecida, assim sendo, de certa forma, ter a própria vida mutilada, são marcas difíceis de serem cicatrizadas.
Todavia, algo inerente na personalidade dos Titãs é o poder de renascer. No meio de tudo isso, o menino Aqualad deu lugar ao homem Tempest; um ciclo da vida encerra-se para que outro se inicie. Esse reinício, não obrigatoriamente, apaga o passado, muito pelo contrário, ensina, concede possibilidades, para que com as experiências vívidas, os novos caminhos sejam trilhados, remodelados, reestruturados.
O Garth é um sobrevivente, um guerreiro, como disse antes, um ser em busca de respostas, portanto isso não o difere em nada dos outros Titãs ou de nós, meros mortais... Engraçado perceber que, aquilo que sempre foi visto, até por ele mesmo, como uma marca de inferioridade – os olhos púrpuras – torna-se marca do poder, que por direito é dele, ou seja, o que o fazia diferente é o que o torna especial. E aqui concluo meu pensamento, é esse estigma de “estranho no ninho” que me incomodava ao lembrar dele.

Na verdade, queria-o mais, muito mais participante nas histórias do grupo, presente no nosso cotidiano, assim ficando mais próximo do meu convívio. Afinal, é isso que desejo sempre: ter os amigos queridos sempre perto de mim e Garth faz parte desse seleto grupo em minha vida.



Autor: Léo Ribeiro

7 comentários:

Tar Aquino disse...

Eu não sei o que descrever... Não mesmo!
Parece que o Léo leu meus sentimentos em relação ao Garth. Vínhamos conversando sobre o Garth há algum tempo, mas não imaginava que poderia passar assim... (ou imaginava?!).
O Garth é um dos meus favoritos. Não sei porque não faz parte constante do grupo... Sempre foi assim! Apenas Devin Grayson utilizou nosso amigo como deveria (embora não tenha gostado muito dessa fase!). Só espero que o Winick traga nosso amigo para as páginas de sua série.. Afinal ele quer abordar o tema "amigos". E esta característica, o Garth tem de sobra!
Vlw, Léo.

México McVilla disse...

É por essas e outras que eu as vezes penso que devia ter nascido alguns anos atrás pra ter conhecido e amado essa gente como vc!
No mínimo um texto apaixonado é o que se pode dizer... vc declara e exalta a sua admiração por Garth que eu até tenho vontade de pedir: "Me apresenta!" hehehe
É de pessoas como ele que o mundo precisa e de escritores como vc que nós mais "novatos" precisamos pra entender oq é ser um fã dos Titãs!
O texto é fantástico! O melhor! hehehehe
Parabéns!

Rogerio disse...

Garth ainda tinha essa limitação de 1 hora fora d'agua antes de Crise Infinita?

Tar Aquino disse...

Não sei responder ao certo, Rogério. Mas depois que se tornou Tempest, acredito que esta limitação foi deixada de lado. Não posso afirmar, até pq isso nunca foi claro após ter se tornado Tempest. Vou pesquisar melhor a mini dele e te respondo no perfil dele depois, ok? Abraço.

Victor Soto disse...

Texto maravilhoso, mesmo \o/
Compartilho tudo oque foi escrito sobre Garth aqui, e tb sempre senti falta dele na equipe...como ainda sinto quando anunciaram que ele nao estaria na nova serie dos Titãs, mesmo havendo a possiblidade de aparecer hora ou outra.


Mesmo assim, parabens mais uma vez pelos textos Leo.

Leo Ribeiro disse...

Turma... agradeço mais uma vez pelos comentários a respeito do texto do Garth e tenham certeza que ele foi escrito com dedicação e cuidado... para transmitir a vcs a admiração que sinto por estas pessoas... Fico feliz me perceber que o intuído está sendo alcançado!

Obrigado mais uma vez!

Tenham dia titânico!

Jerichofan disse...

Parabéns, Léo.
Garth, sem dúvida, é o Titã mais fraterno que já existiu.