7 de jun de 2010

Especial - Rapina & Columba - Parte 2

Minissérie: RAPINA & COLUMBA #1-5 [1988]

Em 1988, uma minissérie de cinco edições foi produzida por Karl e Barbara Kesel, na tentativa de reintroduzir Rapina e Columba, que agora seria uma mulher chamada Dawn Granger.

Além da nova personagem, os autores também criaram um novo inimigo, Kestrel. A misteriosa Columba recebeu seus poderes enquanto tentava salvar a vida de sua mãe das garras de terroristas. Ao final da minissérie, foi revelado que Dawn recebeu seus poderes no mesmo momento em que o primeiro Columba, Don Hall, fora morto em CRISE NAS INFINITAS TERRAS. Esta Columba, embora fosse mais autoconfiante que Don, possuía grande força, destreza e velocidade sobre-humana, além de capacidades mentais expandidas. Ela lutava mais na defensiva, preferindo táticas inteligentes em controlar seu oponente. Como Rapina, ela também não conseguia retornar à forma humana, quando ferida, para não comprometer sua saúde. Mais tarde, foi revelado que Rapina & Columba eram, de fato, eram representantes do Caos e Ordem, respectivamente.

Karl Kesel se lembra de como Rapina & Columba ressurgiram:

"Eu estava arte-finalizando o trabalho de George Pérez - painel onde o Columba morre - em THE HISTORY OF THE DC UNIVERSE. Sempre gostei dos personagens e, principalmente, da maneira como se transformavam nos heróis. Então, tive uma idéia: A misteriosa voz que lhes garantiam poderes poderia muito bem dar o mesmo poder de Columba a outra pessoa. E por que não uma mulher? Assim, chamei Barbara [Kesel] e, sem percebermos, já éramos co-autores da nova personagem.

Concomitantemente, conheci Rob Liefeld em uma convenção através de Barbara. Sua energia e entusiasmo eram contagiantes. Assim, achamos que ele seria perfeito para o título. Mike concordou, mas éramos novatos e não tínhamos certeza se haveria receptividade dos fãs". Então, o editor Mike [Carlin] deu sinal verde para uma minissérie de cinco edições em 1988.


Título Regular: Hawk and Dove [Rapina & Columba] #1 [1989] ao #28 [1991]

A minissérie obteve tamanho sucesso que, logo depois, foi seguida de um título regular. Karl e Barbara Kesel continuaram como roteiristas, enquanto Greg Guler foi substituído por Rob Liefeld como artista. A série acabou dando identidades às entidades que garantiram poderes a Rapina e Columba.

Situada em Washington, D.C. (onde ambos cursavam a Universidade de Georgetown), a série introduziu vários personagens de apoio, incluindo a namorada de Hank, Ren Takamori, e os amigos Kyle Spencer e Donna Cabot. Eles também trabalharam com o policial Capitão Brian 'Sal'Arsala, que desenvolvia grande admiração por Dawn.

Completando o elenco, foi introduzido também, o vilão Kestrel - um demoníaco ser criado mor M'shulla, além de Barter, proprietário da BARTER TRADING: Serviços e Benfeitoria Exóticos.

Nas edições de #14 a #17 da série, Kestrel, possuindo o corpo de Ren Takamori, fez com que a dupla heróica procurasse Barter para levá-los ao mundo místico de Druspa Tau - também o lar dos Lordes do Caos e Ordem. Lá, a dupla foi capaz de remover seus uniformes, revelando suas verdadeiras formas, além de perceberem que suas habilidades aumentaram significativamente. Eles chegaram bem em meio a uma guerra entre M'Shulla - outro Lorde do Caos - e Arriya - Lorde da Ordem. Encontrando-se em lados opostos, Rapina e Columba foram forçados a se enfrentarem. M'Shulla revela ao cativo Rome que ele elaborou um feitiço há muito tempo, e que Arriya não era o nome da antiga Deusa de Druspa Tau. Ninguém conhecia seu verdadeiro nome, assim, ela não poderia retornar ao mundo místico.


Quase prestes de M'Shulla vencer, Barter revela que o verdadeiro nome da Deusa era Terataya. Assim que seu nome foi pronunciado, um dragão apareceu carregando um amuleto. Juntos formavam a combinação de Terataya e T'Charr - Lordes da Ordem e do Caos, respectivamente - numa entidade conhecida como Unidade. A entidade luta contra M'Shulla, que acaba prendendo a entidade em uma caverna.

Columba, por sua vez, foi capaz de usar seus poderes para ver como Kestrel estava conectado a Ren e separá-los. Rapina, então, absorveu a força do demônio, libertando sua namorada. Assim, Rapina e Columba voaram ao encontro da Unidade, deixando Ren para trás. Na caverna, a dupla encontra seus criadores prestes a perecerem. A entidade explica que criaram a dupla para provar aos outros Lordes do Caos e Ordem que as duas forças poderiam trabalhar juntas (e que estavam apaixonados). Como estavam morrendo, Rapina e Columba absorveram a essência de seus respectivos criadores, aumentando seus poderes, mas com a consequência de que não haveria mais sucessores aos heróis.

Os autores comentam:

"Quando trouxemos Rapina e Columba novamente, decidimos trocar o foco político pelo que representaria o relacionamento ordem/caos. Assim, pudemos ter uma Columba mais ativa e adorável (devemos admitir que estávamos cansados dos lamentos de Don, certo?). Não estávamos ignorando a visão políticas, mas apenas elaborando algo que ia além disso".


Rapina se torna o Monarca

Em 1991, a DC produziu um grande crossover chamado ARMAGEDDON 2001. De acordo com o roteiro, em 2001, todos os heróis da Terra pereceram pelas mãos de um dos seus, que os traiu e se proclamou o monarca do planeta. Sua identidade havia se perdido durante a história, mas o rebelde Matthew Ryder foi capaz de viajar no tempo na tentativa de descobrir os objetivos reais e a identidade do temido vilão. Agindo como Wyderiver, Ryder voltou ao passado e observou os futuros de cada herói possível de se tornar o tirano. Paradoxalmente, o Monarca o seguiu, assassinando a heroína Columba, revelando ser o Rapina.

Isto foi publicado no último minuto, pois, originalmente, o vilão seria o Capitão Átomo. Waverider já havia checado o futuro de Rapina e Columba em HAWK & DOVE ANNUAL #02. Entretanto, antes de ARMAGEDDON #02 ser lançado, alguém revelou que o Capitão seria o tirano. Assim, na tentativa de surpreender os leitores, a DC alterou o roteiro às pressas. Como as vendas do título RAPINA & COLUMBA estavam em queda, decidiram tornar Hank Hall o Monarca.

Barbara Kesel comenta:

"Vamos deixar claro que não planejávamos um final pra Rapina e Columba. Esta estória idiota se tornou fato logo após alguém da DC "fofocar" que Monarca seria o Capitão Átomo. Então, algumas pessoas trabalharam como doidos para encontrar outro herói para sacrificar. Como o título RAPINA & COLUMBA havia acabado de ser cancelado, vocês podem imaginar o resto...

Se vocês sentem pena de alguém, este seria Jonatham Peterson, a pobre pessoa que nos deu a notícia. Eu fiquei irada. Se há algo que odeio é personagens se comportando fora de suas caracterizações, especialmente uma mulher esperta demonstrando-se ser tola sem razão alguma. A dupla como Monarca teria sido uma idéia melhor, ou seja, se ambos se tornassem a entidade, suas naturezas contrárias poderiam explicar o vilão esquizofrênico. Mas... Foi a pressa que estragou tudo. A última coisa que me lembro foi a estória do anual #02, com a Unidade. Mas foi tudo por água abaixo...".


Assim, o Monarca atacou a dupla e assassinou Dawn em frente a Hank, causando nele um sofrimento intenso que acabaria tornando-o capaz de assassinar o vilão e assumir sua identidade. Em seguida, como inimigo de Capitão Átomo, tornou-se o Extemporâneo, após roubar os poderes de Wiverider, em ZERO HORA.

Mais tarde, ele enfrentou a Sociedade da Justiça da América, encontrando seu fim, quando o Esmaga-Átomo usou os poderes da cadeira do Novo Deus Metron para transferir Hall dentro de um avião destinado a explodir, no lugar de sua mãe. Mesmo tendo morrido como vilão, Hank Hall foi homenageado com uma estátua na Torre Titã, em São Francisco.

Nenhum comentário: