15 de mar de 2011

Questão de Opinião: edno odut es anrot ocigám

Ou "Como uma coisa leva às outras" - Parte III

[PARTE I]

[PARTE II]

Ao longo da história deste planeta os hominídeos vêm evoluindo. Desde os Neandertais, como Vandal Savage, o “homem” veio evoluindo (claro que em uma visão científica, que não encontra aceitação entre os religiosos criacionistas, mas este é um aparte), de Homo habilis, aquele que tinha habilidade para criar suas ferramentas e "descobriu" o fogo, ao Homo erectus, o homem que andava sobre os membros inferiores ficando em pé, até chegar ao que dizem ser a nossa espécie, os Homo sapiens, aqueles que pensam, muito embora essa capacidade nem sempre seja tão bem usada.

No multiverso dos quadrinhos de super-heróis há, porém, novas raças, novas espécies humanas. No universo Marvel, por exemplo, existem os Homo superior, os ditos mutantes. Uma ração humana evoluída. Já no Multiverso DC, existe uma raça que vive paralelamente à humana, os Homo magi.

Os Homo magi são seres fisicamente idênticos a nós, mas que tem a habilidade inerente de manipular magia. Em outras palavras, são mágicos de nascença.

Grandes nomes da história do multiverso DC são, ou foram, Homo magi. Entre os principais estão o mago Zatara e sua filha Zatanna, ambos já tiveram passagem pela Liga da Justiça e conseguem usar sua magia pronunciando ao contrário o que desejam que aconteça. Outros nomes não são tão conhecidos assim, como Árion, o atlante representante da Ordem, que já mencionei anteriormente.

Mas existem três nomes, ligados (direta ou indiretamente) aos Novos Titãs, de Homo magi que merecem atenção.

O primeiro deles é o Titã do Ano Perdido, Zachary Zatara, sobrinho do grande mago Zatara e primo de Zatanna. Zach, assim como os demais de sua linhagem, consegue realizar encantamentos pronunciando as frases no sentido inverso, porém com a particularidade de seus feitiços não possuírem efeito sobre pessoas, apenas objetos. Zatara foi membro durante um curto espaço de tempo onde construiu uma grande amizade com o Novo Titã Kid Demônio, depois Demônio Vermelho. Após, Zach “ajudou” os Novos Titãs da fase “Um ano depois” a reencontrar Ravena que estava percorrendo o mundo fugindo do Titã que havia traído a equipe. Zach em seguida foi pouco visto ou mencionado, até que ele estrelou a “segunda história” do título dos Novos Titãs, da fase de Felícia Henderson, conhecida como “Coven of Three”, junto com Traci 13 e Alice Sombria.


Traci também é conhecida dos fãs de Titãs por ela ser a namorada do Besouro Azul, Jaime Reyes, tendo sido personagem recorrente em seu título solo e também nos Novos Titãs, especialmente a fase de recrutamento, por volta da edição 66. Traci consegue realizar toda sorte de encantos, o que faz mesmo sem o consentimento de seu pai, já que sua mãe morreu devido à magia.


Já Alice surgiu nas páginas de Aves de Rapina e depois teve papel importante na Crise Infinita ao lado dos heróis mágicos do Pacto das Sombras. Ela foi vista novamente quando capturada pelo Clube Lado Negro, onde teve que lutar com outra personagem surgida de Aves de Rapina, a Marginal, que se descobriu ser sua parente, embora não se saiba em qual grau, o que se leva a pensar que ela também seja uma Homo magi. Marginal já esteve quase ligada aos Titãs na mesma época em Traci, já Alice o mais próximo que chegou foi ser publicada no Brasil na mix dos Novos Titãs da Panini. Alice consegue invocar e utilizar facilmente os poderes de qualquer herói místico, Homo magi ou não.


A história desses três se cruza quando três demônios do inferno tentam roubar suas almas para escapar de lá (parece que nem eles aguentam tamanha danação), um plano que já era tramado desde antes de seus nascimentos.


Para isso os demônios criam um mundo onde os maiores desejos dos três são realizados: Traci é poderosa como uma deusa, Zach tem de volta sua namorada que estava morta e, com ela, seus gêmeos nunca antes nascidos, e Lori, a Alice Sombria, tem de volta sua família, mãe viva (não mais morta-viva) e pai sóbrio. Eles têm 24 horas para quebrar o encanto ou os demônios conseguirão escapar. Traci quer acabar com essa realidade estranha, já que seu pai teve de morrer para que ela conseguisse progredir na magia e se tornar a deusa que é. Zach está confuso e não sabe o que quer. Lori é veemente em dizer que prefere viver assim, como em seus sonhos.


Entre meio a discussões e batalhas eles encontram os artefatos, conhecidos como avatares, que podem quebrar o feitiço, e depois de unirem forças e, aparentemente, destruí-los o universo volta ao normal sem sequelas. Eles concordam que a união feita por eles é poderosa e que deveriam se unir mais vezes, se preciso, e se denominam “Coven of Three”, algo como “A Convenção dos Três”. Mas nem tudo são flores, já que cada um deles sai com um segredo desta batalha... e os demônios não se dão por vencidos.


Interessante dessa história é a menção do Demônio Vermelho, onde Zach diz que Eddie havia sido um dos poucos que ele pode chamar de amigo, e Traci diz sentir sua falta também.


Estes três Homo magi reuniram-se apenas por essa aventura até agora, mas seria interessante que uma equipe como essa, criada para ocupar espaço em uma fase tão deficitária dos Novos Titãs como foi a fase pré-Krul, vingasse, pois supriria a falta deixada pelo Pacto da Sombras de um título com temática mística, onde o impossível e o improvável são comuns.

Embora os seres místicos sejam muitos no UDC, a maioria não é Homo magi, como por exemplo, a Titã Ravena. Mas os Homo magi estão em Atlântida, entre os representantes da Ordem e do Caos, e até entre o hall de Titãs.


Estes Homo magi se uniram só uma segunda história, como a da Devastadora, mas tem algo que pode pôr qualquer um que use um S no peito abaixo: Magia!

Um comentário:

DCnautas disse...

Super legal o post. Mas me fez perguntar.. será que Garth é um homi magi?